Você sabe qual é o pré-requisito para iniciar a reforma de uma unidade em um condomínio?

VOLTAR    |   FEVEREIRO    |   TODAS

De acordo com o Código Civil (lei nº10.406 em vigência desde janeiro de 2002), o condômino não pode fazer obras que comprometam a segurança da edificação, sendo assim, a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), por meio da NBR 16.280, sistematizou a gestão de reformas de edificações, parametrizando requisitos mínimos, diretrizes, orientações e responsabilidades com o intuito de garantir segurança da edificação.

Para isso, resumidamente, é preciso que um engenheiro faça a análise com o objetivo de verificar a possibilidade de realizar a reforma/obra na unidade, garantindo a segurança e preservação de patrimônio de todos os condôminos.

Pensando no bem-estar de seus clientes, a Vila Velha oferece como cortesia a todos os condomínios que possuem o Seguro Condomínio na Modalidade Ampla com início de vigência a partir de 01/10/2016 na Grande São Paulo, uma consultoria em engenharia civil para auxiliar o síndico na análise da documentação enviada pelo condômino e, consequente liberação ou não das atividades propostas das unidades que irão ser submetidos a obras.

O diferencial do serviço é subsidiar o síndico na liberação da reforma solicitada pelo condômino, durante a vigência do seguro. Ao final da reforma é emitido um relatório explicando de forma clara e objetiva os aspectos técnicos. Também há disponibilidade de 2ª via de todos os laudos online, garantindo assim um histórico de unidades reformadas do condomínio.

VOLTAR    |   FEVEREIRO    |   TODAS

 

Cestos de lixo podem obstruir rotas de fuga em condomínios

VOLTAR    |   JANEIRO    |   TODAS

A prática de colocar cestos de lixo nos andares dos condomínios pode atrapalhar rotas de fuga de incêndio. Moradores acabam priorizando a comodidade de ter uma lixeira por perto e esquecem que a obstrução de caminhos de evacuação de ambientes é uma das principais proibições da legislação de proteção contra incêndios em edifícios.

Além da comodidade, a lei também é ignorada por vários outros fatores: falta de conhecimento, crença remota no risco de incêndio ou, ainda, baixa frequência de fiscalizações do Corpo de Bombeiros em prédios residenciais.

Para o superintendente do Instituto Seguridade e Capacitação da Vila Velha, Antônio Fahl, a irregularidade nos prédios não é difícil de ser encontrada.  “Basta analisar a existência de riscos na ocorrência de um eventual incêndio, onde as pessoas durante uma evacuação esbarrem ou tropecem nos cestos deixados na rota de saída. Nesse contexto estão inseridos componentes como: aglomeração, pânico, visão reduzida pela fumaça e energia desligada”, afirma.

Uma das soluções para esse problema é dedicar um funcionário a tarefa de fazer coleta diariamente nas unidades e disponibilizar para os ausentes, um local apropriado para depósito dos sacos de lixo. Não é raro encontrar prédios que retiram provisoriamente as lixeiras das escadarias para a vistoria do Corpo de Bombeiros, mas o que poucas pessoas sabem é que em caso de incêndio, as obrigações civis e criminais podem ser de responsabilidade do síndico.

VOLTAR    |   JANEIRO    |   TODAS

6 dicas de segurança para porteiros de condomínio

Não importa o estado e a cidade: todos estão sujeitos a serem vítimas de assaltos. Por isso, adotar medidas de segurança para evitar invasões de bandidos é uma prática muito importante para prédios residenciais. Como a portaria é o ponto mais importante, separamos algumas dicas de segurança para portaria de condomínio.

Continuar lendo “6 dicas de segurança para porteiros de condomínio”