Ginástica laboral no trabalho: prevenção e bem-estar

MAIS NOTÍCIAS

Abril/ 2018

 

A ginástica laboral nada mais é que uma combinação de exercícios físicos realizados durante o expediente nas empresas e tem como objetivo contribuir para a melhoria e bem-estar do funcionário e a adoção de hábitos saudáveis na organização.

Essa modalidade de atividade física proporciona diversos benefícios físicos e psicológicos como: diminuição do stress, aumento da produtividade, redução na incidência de doenças do trabalho, melhora do condicionamento físico e autoestima e diminuição dos afastamentos, cujos impactos podem ser sentidos em todo o ambiente organizacional.

A recomendação para aplicação da prática é duas vezes por turno entre 5 a 15 minutos.

Confira abaixo sugestão de exercícios e aproveite para dar uma alongada!

cartaz_Prancheta 1

Material desenvolvido por Victor Bonadio | http://www.moveupse.com.br

Vila Velha Seguros participa do Enacon 2017

VOLTAR    |   OUTUBRO    |   TODAS

O circuito de palestras do Enacon 2017 (Encontro das Administradoras de Condomínios) promovido pelo Secovi-SP (Sindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis Residenciais e Comerciais de São Paulo) nos dias 4 e 5 de outubro teve como objetivo apresentar e debater questões referentes ao segmento imobiliário.

O evento é destinado a proprietários, diretores, gerentes e demais profissionais que atuam nas empresas especializadas em administração de condomínios a fim de debater ideias, propostas e novidades que estão relacionadas à atividade. A programação inclui ainda a exposição de serviços e produtos que facilitam o dia a dia dos condomínios.

Patrocinadora do evento, a Vila Velha Seguros apresentou ao público os produtos “Seguro Proteção Residencial Conteúdo +” e “Seguro Proteção Empresarial”, desenvolvidos para indenizar rupturas de encanamento e vazamento entre unidades vizinhas nos condomínios residenciais e comerciais.

Na ocasião também aproveitou para confirmar a importância da Cobertura Ampla, que simplifica a contratação para o síndico, cobre em uma única verba qualquer dano físico sofrido pela edificação ou equipamentos, inclusive por desmoronamento, alagamento, explosão ou incêndio, em conformidade com a Lei de Condomínios e o Novo Código Civil.
Para completar, foram abordados os serviços de AVCB (Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros) e LTR (Liberação Técnica de Reformas) com objetivo de atender as demandas de prevenção de riscos dos condomínios.

VOLTAR    |   OUTUBRO    |   TODAS

Vila Velha Seguros lança vídeo institucional

VOLTAR    |   AGOSTO    |   TODAS

A Vila Velha acaba de lançar novo vídeo institucional com aproximadamente 1 minuto de duração.

O vídeo foi filmado na sede da empresa em São Paulo e mostra a estrutura e funcionamento das operações da empresa.

Confira abaixo o vídeo na íntegra:

VOLTAR    |   AGOSTO    |   TODAS

TRT mantém condenação de Furnas por falta de segurança em subestações

VOLTAR    |   JULHO    |   TODAS

O Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região (TRT-15) manteve a condenação da empresa Furnas Centrais Elétricas S.A., que é subsidiária da Eletrobrás e garante o fornecimento de energia elétrica para 63% dos domicílios brasileiros, pela falta de segurança em subestações.

Segundo nota do TRT-15, a empresa deverá manter pelo menos três trabalhadores por turno nas subestações de distribuição de energia e cumprir determinações relacionadas à segurança do trabalho em instalações de serviços elétricos. As obrigações abrangem as subestações do estado de São Paulo, especialmente as situadas nos municípios de Araraquara, Cachoeira Paulista, Campinas, Guarulhos, Itaberá e Tijuco Preto.

O tribunal impôs ainda o pagamento de indenização por danos morais coletivos no valor de R$ 100 mil. O descumprimento da sentença acarretará multa de R$ 50 mil por dia para cada item infringido.

O inquérito que originou a ação civil pública foi instaurado pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) após recebimento de relatório de fiscalização realizada na subestação de Furnas em Araraquara pelo Ministério do Trabalho.

De acordo com o TRT-15, as principais irregularidades encontradas foram referentes à segurança no trabalho e ao descumprimento de disposições da Norma Regulamentadora (NR) 10, que trata de segurança em instalações e serviços em eletricidade, com risco inclusive de morte. A fiscalização realizada pelo MPT mostrou que, em determinadas ocasiões, a subestação chegava a funcionar com apenas um funcionário.

Para o procurador do caso, Rafael de Araújo Gomes, a situação reflete a forma como a energia elétrica é distribuída a milhões de pessoas e empresas de todo o país. “Não é de se admirar que ocorram, com tanta frequência, situações como quedas e interrupções de fornecimento de energia. Os quadros de funcionários são mantidos em patamar tão subdimensionado que qualquer situação de emergência não terá como ser respondida à altura”, afirmou.

Ainda segundo o procurador, o dano não é apenas aos trabalhadores envolvidos, “dos quais a ré exige o trabalho em condições de acentuado e inaceitável risco de morte”, mas a toda a sociedade brasileira, sujeita ao mau serviço. “E tudo porque a empresa deseja economizar quantia para ela quase insignificante, deixando de contratar alguns poucos novos funcionários”, disse Gomes em nota.

O tribunal divulgou que, nos autos do processo, foi realizada perícia judicial que confirmou a necessidade de um número mínimo de funcionários em cada subestação. Em primeira instância, o magistrado Pedro Henrique Barbosa Salgado de Oliveira, da 1ª Vara do Trabalho de Araraquara, havia proferido sentença que condenou Furnas às obrigações mantidas pela segunda instância, exceto pela obrigação de pagar indenização por danos morais.

Em nota, a empresa Furnas disse que foi notificada sobre a manutenção da sentença e que ingressará com recurso no Tribunal Superior do Trabalho. “A defesa da companhia baseia-se no disposto no item 10.7.3 na NR 10, que não determina a quantidade de profissionais designados aos serviços em instalações elétricas energizadas, limitando-se a afirmar que ‘não podem ser realizados individualmente’, e no fato de que parte das atividades inerentes aos serviços pode ser desempenhada remotamente, garantindo a segurança na operação e monitoramento dos empreendimentos”, diz a nota.

A empresa alegou ainda que os procedimentos adotados atualmente para a operação dos seus empreendimentos “atendem rigorosamente aos padrões de excelência técnica da empresa”.

Fonte: Agência Brasil

VOLTAR    |   JULHO    |   TODAS

Conheça as 4 principais doenças que afetam funcionários de condomínios em SP

VOLTAR    |   JUNHO    |   TODAS

A saúde do trabalhador é uma área que preocupa não somente o funcionário que fica debilitado como também a empresa, que sofre com as consequências de queda de rendimento e produção do indivíduo. Por esse motivo, o empregador deve estar sempre preocupado em garantir uma melhor qualidade de vida e condição de trabalho para o indivíduo, além de oferecer todas as possibilidades para que o colaborador tenha um acompanhamento integral do seu quadro de saúde.

Segundo dados da Tecno Med, clínica especializada em Saúde Ocupacional na cidade de São Paulo, em 2016 foram realizadas 43.550 consultas e os quatro diagnósticos mais encontrados em funcionários de condomínios foram Hipertensão Arterial com 10.507 consultas, Varizes com 1.983 atendimentos, Obesidade com 1293 e Dor Lombar totalizando 1.078 atendimentos.

Com base nos números de patologias encontradas, a realização dos periódicos anuais nos funcionários é importante com o intuito de encaminhá-los para tratamento para aqueles que desconhecem seu diagnóstico e acompanhar outros que já estejam em tratamentos.

A grande maioria dessas enfermidades é capaz de afastar o funcionário por alguns dias ou até meses, a depender da gravidade do quadro. Tendo em vista tais circunstâncias, é preciso ter atenção e cuidado redobrado com algumas situações clínicas.

VOLTAR    |   JUNHO    |   TODAS

Vila Velha participa do Ciclo de Palestras Secovi/SP em 2017

VOLTAR    |   MARÇO    |   TODAS

Em 2017, a Vila Velha Seguros está marcando presença no Ciclo de Palestras Secovi/SP. Promovido pelo Sindicato da Habitação do Estado, os eventos estão agendados mensalmente até novembro deste ano e acontecerão na sede do Secovi em SP e também em algumas unidades do interior do Estado, e conta com palestras, apresentações institucionais e estandes de empresas parceiras para visitação.

A Vila Velha promoveu em seu estande, orientações sobre os produtos e serviços voltados para o aperfeiçoamento de quem trabalha em condomínios e administradoras de condomínio.

“O evento busca o fortalecimento do setor imobiliário por meio do debate e estimula o desenvolvimento de melhorias de produtos e serviços voltados para essa área.  A Vila Velha contribui com soluções, como curso de Segurança Patrimonial, Laudos para atender as Normas Regulamentadoras do Ministério do Trabalho, Certificação Digital, e ainda os seguros exclusivos para condomínios, explicou Ivanor Montanhana, diretor de mercado imobiliário na empresa”.

VOLTAR    |   MARÇO    |   TODAS

UNIP e Vila Velha desenvolvem cursos de capacitação em seguros

VOLTAR    |   MARÇO    |   TODAS

A UNIP – Universidade Paulista em parceria com o Instituto Vila Velha e a BSC Marketing e Treinamento, abrem inscrições para 4 cursos de capacitação voltados aos profissionais do segmento de seguros.

Com início previsto para o mês de MAIO, no período noturno, as aulas serão de caráter presencial e ministradas no Campus Paraíso (Rua Vergueiro, 1211).

Os interessados poderão realizar a inscrição online através do site da UNIP (www.posunip.com.br). Outros esclarecimentos também poderão ser obtidos através do 0800.010.9000 da própria universidade. 

Com esta iniciativa, o Instituto Vila Velha de Seguridade e Capacitação acaba por dar mais um passo dentro de seu objetivo de capacitar pessoas, fomentar e difundir conhecimentos relacionados ao mercado de seguros.  Atualmente, o Instituto agrega em suas atividades e oferta diversos cursos e serviços voltados a prevenção de acidentes do trabalho, regidas pelas Normas Regulamentadoras (NR’s) além de fomentar pesquisas voltadas à Área Securitária.

Confira a programação dos cursos

ATENDIMENTO AO PÚBLICO – para profissionais que desenvolvam atividades de atendimento ao consumidor final relativo a produto de seguros, nos planos de previdência e de capitalização, através de diferentes canais.

Para mais informações e inscrição clique aqui

CONTROLES INTERNOS – para profissionais responsáveis pelo estabelecimento dos parâmetros e atividades indispensáveis, assegurando o cumprimento de normas internas e externas.

Para mais informações e inscrição clique aqui

VENDA DIRETA DOS PRODUTOS DE SEGUROS destinada aos profissionais de venda dos produtos de Seguros, Vida, Capitalização, Previdência Complementar e Saúde Suplementar.

Para mais informações e inscrição clique aqui

REGULAÇÃO E LIQUIDAÇÃO DOS SINISTROS – curso direcionado a profissionais responsáveis pela vistoria de sinistros, apuração dos prejuízos ocorridos e emissão de relatórios ou laudos de regulação.

Para mais informações e inscrição clique aqui

VOLTAR    |   MARÇO    |   TODAS

Você sabe qual é o pré-requisito para iniciar a reforma de uma unidade em um condomínio?

VOLTAR    |   FEVEREIRO    |   TODAS

De acordo com o Código Civil (lei nº10.406 em vigência desde janeiro de 2002), o condômino não pode fazer obras que comprometam a segurança da edificação, sendo assim, a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), por meio da NBR 16.280, sistematizou a gestão de reformas de edificações, parametrizando requisitos mínimos, diretrizes, orientações e responsabilidades com o intuito de garantir segurança da edificação.

Para isso, resumidamente, é preciso que um engenheiro faça a análise com o objetivo de verificar a possibilidade de realizar a reforma/obra na unidade, garantindo a segurança e preservação de patrimônio de todos os condôminos.

Pensando no bem-estar de seus clientes, a Vila Velha oferece como cortesia a todos os condomínios que possuem o Seguro Condomínio na Modalidade Ampla com início de vigência a partir de 01/10/2016 na Grande São Paulo, uma consultoria em engenharia civil para auxiliar o síndico na análise da documentação enviada pelo condômino e, consequente liberação ou não das atividades propostas das unidades que irão ser submetidos a obras.

O diferencial do serviço é subsidiar o síndico na liberação da reforma solicitada pelo condômino, durante a vigência do seguro. Ao final da reforma é emitido um relatório explicando de forma clara e objetiva os aspectos técnicos. Também há disponibilidade de 2ª via de todos os laudos online, garantindo assim um histórico de unidades reformadas do condomínio.

VOLTAR    |   FEVEREIRO    |   TODAS

 

Cestos de lixo podem obstruir rotas de fuga em condomínios

VOLTAR    |   JANEIRO    |   TODAS

A prática de colocar cestos de lixo nos andares dos condomínios pode atrapalhar rotas de fuga de incêndio. Moradores acabam priorizando a comodidade de ter uma lixeira por perto e esquecem que a obstrução de caminhos de evacuação de ambientes é uma das principais proibições da legislação de proteção contra incêndios em edifícios.

Além da comodidade, a lei também é ignorada por vários outros fatores: falta de conhecimento, crença remota no risco de incêndio ou, ainda, baixa frequência de fiscalizações do Corpo de Bombeiros em prédios residenciais.

Para o superintendente do Instituto Seguridade e Capacitação da Vila Velha, Antônio Fahl, a irregularidade nos prédios não é difícil de ser encontrada.  “Basta analisar a existência de riscos na ocorrência de um eventual incêndio, onde as pessoas durante uma evacuação esbarrem ou tropecem nos cestos deixados na rota de saída. Nesse contexto estão inseridos componentes como: aglomeração, pânico, visão reduzida pela fumaça e energia desligada”, afirma.

Uma das soluções para esse problema é dedicar um funcionário a tarefa de fazer coleta diariamente nas unidades e disponibilizar para os ausentes, um local apropriado para depósito dos sacos de lixo. Não é raro encontrar prédios que retiram provisoriamente as lixeiras das escadarias para a vistoria do Corpo de Bombeiros, mas o que poucas pessoas sabem é que em caso de incêndio, as obrigações civis e criminais podem ser de responsabilidade do síndico.

VOLTAR    |   JANEIRO    |   TODAS

6 dicas de segurança para porteiros de condomínio

Não importa o estado e a cidade: todos estão sujeitos a serem vítimas de assaltos. Por isso, adotar medidas de segurança para evitar invasões de bandidos é uma prática muito importante para prédios residenciais. Como a portaria é o ponto mais importante, separamos algumas dicas de segurança para portaria de condomínio.

Continue lendo “6 dicas de segurança para porteiros de condomínio”